segunda-feira, outubro 30, 2006

Entrevistas Reais

O tema do nosso programa de hoje é: "Sou beto e gosto!"

Legenda: E = Entrevistador; B = Beto; L = Luís Ranhoso

E – Sejam bem vindos ao nosso programa, para nos falar a cerca deste tema temos aqui connosco Pipo Vasconcelos de Sousa Marques, rapaz com 18 anos de idade que estuda na faculdade de medicina do Porto.

E – Boa Tarde!

B – Boa Tarde

E – Antes de mais queria agradecer ao pipo pela sua coragem de enfrentar as câmaras, sei que está a passar por momentos complicados na sua vida pessoal, nomeadamente o aparecimento de uma doença rara na comunidade betadina, que é a unha encravada e o ouvido com cera!

B – Sim é verdade, de à uma semana para cá esta doença repentina que de um dia para o outro e sem qualquer explicação apareceu, as más línguas disseram que foi por ter dado esmola a um mendigo, mas eu quero desmentir publicamente que não tenho nem nunca hei de ter qualquer tipo de ligação com esse gang de pessoas pobres sem habitação! A explicação do médico para esta doença foi no caso da unha encravada o uso abusivo do telemóvel visto que a semana passada mandei aproximadamente 20000 mensagens escritas, quanto ao ouvido com cera nem o medico conseguiu explicar.

E – Para começar com a nossa entrevista queria saber quando se apercebeu que era um beto?

B – Ainda me recordo como se fosse hoje, o papi tapou-me os olhos e levou-me junto da garagem onde se encontrava um magnifico BMW, a partir desse momento senti que era um perfeito beto.

E – Então foi à pouco tempo visto que fez 18 anos este ano.

B – Não, por incrível que pareça o papi comprou-me o carro quando eu passei da 4ª classe para o 5º ano ainda me lembro das palavras dele, "meu filho que este sucesso seja o primeiro de muitos, e já sabes que podes contar comigo e com o meu dinheiro". A partir dai a minha vida mudou, comecei a usar sapatos de vela, comprar camisas da gant, usar pólos da ralph lauren e claro t-shirts da GAP.

E – Estou a ver que começou a ser beto muito novo! Qual foi o impacto com a sociedade?

B – Sabe que vivemos num mundo de preconceito e foi difícil a minha habituação a sociedade, era visto por muitos como um alien, alguém que não pertencia a raça humana, passei por momentos difíceis, toda a gente na rua me apontava o dedo, atiravam-me pedras e insultavam-me.

E – Desculpe, mas que tipo de insultos?

B – Chamavam-me capitalista, oportunista, popular, social-democrata de todos os tipos de nomes possíveis e impossíveis.

E – Nunca pensou em voltar a traz e desistir de ser beto?

B – Não, o grande papi, o meu avô, que outrora tinha sido um queque sinónimo de beto nos tempos que correm, disse-me, "rapaz quando eu tinha a tua idade também pensei em tornar-me numa pessoa normal, mas depois percebi que ser beto não era uma escolha, era a minha realidade e nada o podia apagar" Bonito não?

E – Sim, muito! Bem hoje em dia sei que está feliz, sei também que entrou este ano na faculdade de medicina com uma media de 19,5, os meus parabéns. Sinceramente acho surpreendente não sabia que os betos tinham a capacidade de pensar!

B – Nem eu, também fiquei surpreendido e sinceramente não me lembro de ter aparecido as aulas e muito menos aos testes, fiz a mesma pergunta a mami e ela disse: “filho não te preocupes o papi já tratou de tudo, e pelo que me disse a tua directora gostou muito dos cheques, desculpe dos queques da mami”. E eu disse mas mami, eu quero ser doutor, ouvi dizer que não se faz nada basta mandar as pessoas esperar, esperar ate que elas morram da doença, ou seja um trabalho que se ganha bem sem se fazer nenhum, um trabalho digno de um beto. Ao que a mami respondeu "está bem meu filho tens de dizer isso ao papi, para que ele não se esqueça de perder propositadamente no jogo de golfe com o director da faculdade. E assim foi.

E – Fazemos uma pequena pausa na entrevista e passamos para o nosso comentador Luís Ranhoso com o seu comentário habitual

L – Boa Tarde aos dois. Beto é uma palavra que consta no novo dicionário de língua portuguesa, e que diz o seguinte, "Beto – Substantivo Rasco, sinónimo de Politico, Advogado e Doutor; vem da palavra latina Betuz Burruz Mioluz Pequenuz que significa animal irracional festivo adolescente, este tipo de animal encontra-se em maior abundância durante todo o ano na zona de Cascais e foz do Porto, durante o verão na zona de vila Moura, podendo-se encontrar também espalhados por todo o território português. Alimentam-se de seres femininos da mesma espécie, as betas, usando as suas próprias armas que são os seus capacetes, ou através de ratoeiras como o caso carros descapotáveis e telemóveis topo de gama. Estes animais são semelhantes aos mosquitos, pois enquanto os mosquitos são atraídos pela luz, os betos são atraídos pelas festas de sociedade. Já em adultos têm o nome de jetsets! É Tudo!

E – Obrigado Luís, Vamos continuar com a nossa entrevista a pipo!
Além de seres um beto consagrado que milita no top10 nacional, sei também que és o representante máximo da comunidade betadina portuguesa. Como é que tudo aconteceu?

B – Bem os meus sócios estavam todos reunidos no escritório (O Estado novo) até que o menos sóbrio de todos disse: "Tive uma ideia, e se reuníssemos os betos todos de Portugal aqueles que como nós são oprimidos pela sociedade e fundássemos a comunidade betadina portuguesa", após dizer isso chamou o Gregório, a partir desse momento eu vi logo que a ideia ia ser um sucesso. Reunimos os betos de todo o nosso querido Portugal, ao que eles responderam em massa e decidimos criar um centro de reabilitação para aqueles que ao contrário de nós são betos e não gostam!

E – Os jornais da especialidade (Maria, TV 7 Dias, etc.) criticaram muito esse encontro nacional da comunidade betadina, disseram até que se tratava de uma réplica da revolução do 25 de Abril, onde em vez da revolução dos cravos era chamada da revolução do porta-chaves ao peito e dos cabelos em forma de capacete. O que tem a dizer sobre isto?

B – Há certas coisas que não merecem ser comentadas, isso não passa de pura difamação feito por abutres jornalísticos que só pensam em dinheiro e fazem de tudo para obter os seus fins, tal coisa que vai completamente de encontro as nossas ideias e a nossa maneira de pensar.

E – Adiante, Quais são os vossos projectos?

B – Nós alugámos uma quinta em Azeitão onde desde logo construímos um campo de golfe, 3 courts de ténis, 2 pistas de kartings e claro, uma sala virtual com o jogo counter-strike. Até ao ver está tudo a ser um sucesso.

E – Antes de nos despedirmos queria que nos deixasse uma frase de força para aqueles que ao contrário de si, são betos e não gostam.

B – Se és beto e não gostas, se o teu pai tem uma conta na Suiça, se estás farto de ser gozado pelas pessoas normais, junta-te a nós, connosco sentirás que não estás sozinho, connosco participarás em maravilhosos eventos, temos jogos para todos os gostos, caso do "insultei um bófia mas não faz mal o meu pai é juiz no tribunal de menores", ou até "Espatifei o carro porque não gostava da cor", e claro o velho clássico "Meti o telemóvel ao lixo porque não tinha rede no cinema" Por estas razões e muitas outras quero que saibas que, Estamos à tua espera!

E – Obrigado é tudo por hoje, despedimo-nos de mais um "Entrevistas Reais", até para a semana!

1 comentário:

nando disse...

clap clap clap, de ler, reler, e aconcelhar, sem duvida o senhor GTS esmerou-se e muito... parabens