domingo, dezembro 03, 2006

Mudanças na classe vendedora de flores

Estava eu num café com a minha namorada quando se passou o episódio a seguir relatado.
Uma nova classe me foi apresentada. Eram precisamente 00:47 quando vi a minha primeira "kefrô".
Começa a percorrer toda as mesas do café a dizer (penso eu), a sua frase ganha-pão "Kefrô?!"
Chegada a minha mesa o diálogo foi o seguinte:
Kefrô - Boa noite! E uma flor para a sua cara metade não?!
Eu - (nesta altura pensei, e pagares a conta não minha puta?!) Não, não..
Kefrô - Então porque não!? Um gesto tão bonito... De certeza que depois conseguiria tudo o que quisesse...
Eu - Pois, até podia ser. Mas sou eu que tou de carro, sou eu que pago a conta e para além disso eu não quero nada da minha irmã... a não ser que ela diga aos meus pais que eu nunca fumei droga e que sempre fui um menino muito atinado nos estudos...
Kefrô - Mas mesmo assim um gesto destes à sua irmã eraalgo muito bonito...
Namorada ("Irmã") - Pois, mas não! Não é preciso! Nós só viemos tomar café para pôr a conversa em dia e nada mais que isso.
Eu - Pois.. e a conversa já me vai custar dinheiro porque os cafés custam dinheiro.. Uma rosa dessas dava para eu tomar 6 ou 7 cafés aqui.. por isso a não ser que me venda a rosa por 0.70€ ou 1€ no máximo eu fico-lhe com ela e levo-a para dar a minha avozinha que faz anos na próxima 3ª feira...

(Nesta altura, a Kefrô olhou para mim com uma cara de espanto, eu sorri-lhe e ela virou costas já com uma cara de quem pensa "mas este gajo tá parvo ou é estupido!?)


Conclusão: As mulheres também podem ser Kefrô. São chatas quanto baste e não descolam sem receber dinheiro... a não ser que o insulto utilizado por nós seja tão barato e delicado como o que eu utilizei!

1 comentário:

ZENUNO disse...

kefro??? nah nah, so um lanche na associaçao de estudantes...