sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Tráfico de Influências

Há algum tempo atrás ouvi uma noticia que me deixou completamente aparvalhado (termo que melhor retrata o meu estado psicológico e físico do momento), o senhor Major Valentim Loureiro quando foi chamado a depor para o caso do apito dourado, foi acusado de entre muitas coisas, de tráfico de influências! Que nome mais caricato, será que isto se trata de um trafico semelhante a muitos outros? Ora deixa lá ver, primeiro faz-se a plantação do produto nas grandes herdades colombianas, onde as influencias crescem regadas pelo dinheiro, quando já estão maduras é feita a recolha, dá-se a exportação para todo o mundo através de barcos, carrinhas Renault Trafic (carrinha especializada no trafico por assim dizer), ou até mesmo de avião. Depois quando as influencias chegam ao local para serem vendidas, existe um interveniente que é denominado de "dealer", que faz chegar as influências á mão de qualquer um! Normalmente o "dealer" é aquele indivíduo que numa festa de hip-hopers e reggae anda vestido com um blusão de cabedal á Top Gun e as abordagens são do género: "- Olha olha! sim tu! Tenho aqui um produto do bom. Queres uns benefícios fiscais? Ou preferes um emprego na sonae?" Depois quando são abordados pela polícia dizem mais ou menos isto: "ei, que se passa? Não estava aqui a fazer nada esse contrato empresarial não é meu, nunca o vi na vida..."

1 comentário:

Pepax disse...

Bagh... Isso vai acabar tudo em "amendoins"....