quarta-feira, setembro 12, 2007

Contemplações

Porque todo o mundo é sempre contemplado com alguma coisa, também os transportes públicos não fugiram à regra. Visitante assíduo dos veículos em causa, assisti há uns dias a uma cena digna... de ser escrita e comentada aqui. Pela... sétima (?) vez desde a minha existência deparei-me com os chamados “picas” dentro de um autocarro. Os “agentes de fiscalização”, portanto. Entrei muito sossegadinho e sentei-me lá atrás, quando nisto (parecia que estavam à espera que eu chegasse) o senhor agente de fiscalização (pelo volume demorei a perceber que era apenas um e não dois) se aproxima na minha direcção e... se dirige a um outro indivíduo sentado atrás de mim. A conversa foi mais ou menos esta:

Agente de Fiscalização: - Oh faxabore! O shôre sabia que não pode trazer isso cá dentro?
Indivíduo: - Ai num posso?
AF: - Não.
I: - Porquiá? (Porquê?)
AF: - Porque os outros utentes não têm de levar com esse cheiro!
I: - Ó amigo, mas se eu trabalho na doca, que quer que lhe faça?
AF: - Eu não quero saber! O shôr não pode trazer isso cá dentro! As outras pessoas não têm que levar com o seu cheiro... ou o cheiro do que o senhor traz aí!
I: - Ai não posso trazer peixe no autocarro?
AF: - Não. Desta vez vai passar, mas da próxima que o shôr entrar com isso no autocarro, pode ter a certeza que vai sair! (Esta é curiosa... O agente é quem? DEUS? Está em todos os autocarros?!)
I: - Há cheiros piores... Podia ter calcado um... (cagalhão?)... e depois? Não podia entrar?
AF: - Ó AMIGO! O shôr tá a continuar com a conversa, temos boa solução pra isso: Sai já na próxima!!
I: - Mas porque é que não posso trazer o peixe cá dentro!?
AF: - Porque os transportes públicos não foram contemplados com peixes cá dentro!!

...

Parou tudo. “Porque os transportes públicos não foram contemplados com peixes cá dentro”

Vou repetir:
“Porque os transportes públicos não foram contemplados com peixes cá dentro”

...

P-o-r-q-u-e o-s t-r-a-n-s-p-o-r-t-e-s p-ú-b-l-i-c-o-s n-ã-o f-o-r-a-m c-o-n-t-e-m-p-l-a-d-o-s c-o-m p-e-i-x-e-s c-á d-e-n-t-r-o.

Eu acho isto estranhíssimo. Não devia, eu sei, mas acho. Como é que na metodologia avançada da concepção dos transportes públicos não são contemplados “peixes lá dentro”? É absolutamente inaceitável. Temos de nos mover já contra esta atitude prepotente e discriminatória que é a não “contemplação de peixes lá dentro” dos transportes públicos. É caso pra dizer: Que anda a fazer, shôr Primeiro Ministro? Pra quando a sua atenção para as causas que realmente interessam?

3 comentários:

tulipa_negra disse...

devias ter perguntado se tinha sido contemplados con carne, fruta, verduras, etc... lá dentro!

cenas do caraças
beijocas

Mariana disse...

Tanta gente a meter nojo de tantas maneiras diferentes dentro de um autocarro e vão logo implicar com alguém do proletariado!
Fiquem todos desde já a saber que se há cheiro que me enoja dentro do autocarro, é o cheiro a côco das misses popstares todas empastadas em maquilhagem, tacão alto e creme no cabelo! Essas é que podem pôr lá fora que eu agradecia.

João Silva disse...

eu próprio já presenciei umas das boas dos "picas" naquilo a que chamam metro do porto mas que para mim é um "eléctico"...