terça-feira, maio 30, 2006

Co-inceneração

Tema controverso..
Os ambientalistas criticam á força toda...
Mas já que eles criticam e não apresentam soluções, eu que não critico, vou-me basear nas críticas deles e apresentar uma solução...
Porque não juntar as nossas saquinhas de lixo e assim no finalzinho de semana elas eram encaminhadas para debaixo da cama dos moços da QUERCUS?! Eu acho que era grande cena... Ou então, se eles começarem a stressar, um gajo sempre pode ser fixe e deixar as sacas debaixo da mesa da sala de jantar...

5 comentários:

Anabelacps disse...

Che,
O pior era o cheiro!

Tá'se bom de ver que a malta da QUERCUS, os VERDES e outros que tais, nunca pensaram fazer de facto uma guerrilha à séria aos governos, a fim de o pressionar para uma política amiga do ambiente que responsabilize as indústrias poluidoras.

Na verdade, todas estas organizações parecem fazer o jogo do governo. Os partidos políticos são pagos pelos grandes grupos económicos, que coincidentemente colocam por esta terra à beira mar plantada, inúmeras indústrias... uma mão lava a outra.

Quanto à co-incineração e já agora, centrais nucleares... e apesar de ouvir falar disto imenso, assumo a minha total ignorância quanto aos prós e contras...

... alguém que mo explique como se eu fosse muito burra...

tulipa_negra disse...

até gostava de saber onde é que esses senhores da quercus e dos verdes põem o seu lixo... e já agora, se reciclam tudo em condições...

João Silva disse...

e eu que pensava que co-insenaração era cremar o Co adriaanse!

João Silva disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
nunocavaco disse...

Sem ofensas e para querer informar se for possível. A co-incineração é um processo de destruição dos resíduos mas aproveitando-os como combustíveis. Não é a única solução e a parte final da cadeia. Alternativa a incineração que é a queima destes sem os utilizar como combustíveis. Problemas, a queima dos resíduos deve ser feita entre os 900ºC e os 1200ºC para não gerarem dioxinas e furanos nocisos aos organismos. Num forno adaptado, co-incineração é possível que haja variações de temperatura e que se formem os furanos e as dioxinas, na incineração o forno é de raiz e prtanto menos provável. No entanto só devem ser queimados aqueles que não podem ser reaproveitados e nisso trabalhasse mal em Portugal. Em Estocolmo, Sócrates enviou um secretário de estado, quando era ministro do ambiente, assinar um documento contra a co-incineração. Não é estranho? Eu sou favorável ao reaproveitamento dos resíduos e á queima dos não-aproveitados em incinerados, feitas de raiz. Podiamos colocar uma no centro do país que também podia ser um centro monitorizador de fogos. Mas isto sou só eu a pensar.